Página gerada às 10:08h, quarta-feira 29 de Março

Santo Antão: Incubadora de Agronegócios promove formação em "certificação de produtos agroalimentares – Grogue"

20 de Março de 2017, 11:36

A Incubadora de Agronegócios de Santo Antão (IASA) promove, a partir de hoje, na Ribeira Grande, uma formação de cinco dias, em "certificação de produtos agroalimentares – grogue", destinada a empreendedores, agricultores/produtores e micro e pequenos empresários.

A ideia é capacitar, pelo menos, 30 empreendedores/produtores, micro e pequenos empresários e seus funcionários, de toda Ilha de Santo Antão, sobre o processo de certificação de produtos agro-alimentares, com enfoque específico no grogue, e “dissipar todas as dúvidas quanto a lei, os requisitos, entre outros”.

Trata-se de uma atividade que se enquadra no âmbito do Programa Academia MPME, criada pela ADEI, com o objetivo de “reforçar a capacidade empreendedora e as competências técnicas e de gestão das micro, pequenas e medias empresas”, mediante a realização de acções de formação.

A realização desta formação surge da constatação de que “a aguardente de cana-de-açúcar é uma das bebidas alcoólicas mais populares em Cabo Verde” e, embora o seu consumo tenha sido cada vez mais frequente e precoce no seio da população, “grande parte dos consumidores possuem ainda pouca informação sobre as suas características”.

“Em Cabo Verde são notórias as consequências nefastas do uso abusivo da aguardente de cana-de-açúcar, devido ao seu fácil acesso e preço baixo, entre os consumidores” diz a nota explicativa do projeto, a que a Inforpress teve acesso, destacando “a dependência química, que compromete o normal funcionamento do sistema nervoso e funções cognitivas”.

Foi por isso, adianta o documento, que este assunto foi colocado “na linha da frente das preocupações das autoridades competentes, que desenvolveram legislação específica” para “estabelecer os requisitos segundo os quais se deve produzir a aguardente de cana-de-açúcar” como forma de “diminuir riscos para a saúde derivados do seu consumo e alcançar a segurança sanitária do produto”.

A formação termina na próxima sexta-feira, altura em que se espera que os participantes estejam preparados para “desenvolver capacidades, conhecimentos e instrumentos necessários para certificação do produto”, tendo por base a nova lei do Grogue.


SAPO c/ Inforpress

Comentários

Critério de publicação de comentários

 

SAPO Jornais