Página gerada às 08:13h, quarta-feira 22 de Novembro

 

Turismo já vale um quarto do total do PIB

04 de Julho de 2015

O clima temperado, subtropical, as belas praias, sobretudo nas ilhas do Sal e Boavista, levaram os sucessivos governos de Cabo Verde a apostar no sector do Turismo que, em 2014, atingiu um quarto do total do PIB do país.


O grande salto deu-se a partir de 2009, com a construção, de raiz, de inúmeros empreendimentos turísticos – aldeamentos, hotéis, residenciais, pensões - em praticamente todas as ilhas, fruto também da crise e da insegurança que assola o mercado norte-africano.

Além do turismo hoteleiro, o de cruzeiros também tem vindo a aumentar significativamente nos últimos anos, tendo Cabo Verde recebido, segundo dados oficiais, cerca de quatro dezenas de paquetes que permitiram o desembarque de cerca de 30 mil passageiros.

Todos estes pressupostos permitiram que, em 2012, Cabo Verde ultrapassasse, pela primeira vez, a barreira do meio milhão de turistas (pela primeira vez também ultrapassou o total de habitantes no país), estando a fasquia a ser elevada para o milhão até 2016, meta, porém, difícil de atingir.

Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE) cabo-verdiano, em 2014 a hotelaria cabo-verdiana registou 539.621 hóspedes, uma diminuição de 2,3% face a 2013, ano até ao qual o turismo tinha aumentado significativamente.

Para apoiar o desenvolvimento do sector, o Governo cabo-verdiano tem contado com Escola de Hotelaria e Turismo, projecto financiado pela cooperação luxemburguesa e que tem, paralelamente, permitido assegurar a formação de profissionais para preencher os quadros das crescentes unidades hoteleiras.

A este respeito, os dados mais recentes do INE, divulgados este ano e referentes a 2014, indicam que Cabo Verde contra com 229 estabelecimentos hoteleiros (mais 3,2% que em 2013).

No mesmo período, de 2013 para 2014, o número de camas subiu 13,7% (18.188), o de quartos 19,7% (10.839) e o de empregos 9,2% (6.282).

Nos próximos anos está prevista a construção de pelo menos mais seis “resorts” nas ilhas do Sal e Boavista e, na Cidade da Praia, há já um projecto da cadeia Hilton para a construção de um hotel de luxo de 18 andares na Achada de Santo António e um outro, de ainda maior dimensão, que irá ocupar o ilhéu de Santa Maria, um investimento a rondar os 230 milhões de euros (15% do PIB de Cabo Verde).

Em 2014, segundo o INE, Portugal foi o quarto mercado emissor de turistas, num total de 60.161, o que representa 11,1% do total dos que visitaram Cabo Verde, atrás do Reino Unido (18%), Alemanha (12,8%) e França (11,5%).

Lusa



Comentários

Critério de publicação de comentários